Sistema Tecnológico de apoio à promoção e avaliação do impacto social, económico e ambiental do circuito curto SmartFarmer.pt na Beira Interior

STAI.Bin promoveu sessão de apresentação do SmartFarmer da Beira Interior no dia 7 de junho em Castelo Branco

No passado dia 7 de junho, a equipa do projeto de investigação científica e desenvolvimento tecnológico (IC&DT) STAI.Bin, dinamizou uma sessão de apresentação e promoção do mercado eletrónico de proximidade SmartFarmer da Beira Interior. Esta sessão decorreu no auditório da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco e contou com a presença de diversas entidades nomeadamente produtores agrícolas, consumidores individuais e coletivos e representantes de diversas associações do concelho.

A organização da sessão foi coordenada pelo Instituto Politécnico de Castelo Branco e contou com o apoio da presidência da Câmara Municipal representada pelo seu Vice-presidente, Coronel José Augusto Alves.

O Senhor Presidente do IPCB, Professor Doutor António Fernandes, deu inicio à sessão de abertura destacando a importância das atividades de investigação como potenciadoras do desenvolvimento regional e local.

SmartFarmer é uma ferramenta eletrónica promovida pela OIKOS – Cooperação e Desenvolvimento. Este portal engloba vários Mercados Eletrónicos de Proximidade, regionais, organizados numa lógica de “Circuitos Curtos de Proximidade”.  O SmartFarmer da Beira Interior conta com a gestão partilhada da ADES – Associação Empresarial do Sabugal e AAPIM – Associação de Agricultores para Produção Integrada de Frutos de Montanha. Na sessão, estas entidades foram representadas pelo Dr. Daniel Simão e pela Drª Cátia Silva respetivamente.

A apresentação dos objetivos, potencial de serviços e funcionamento geral do SmartFarmer da Beira Interior ficou a cargo do Dr. João José Fernandes, Diretor Executivo da OIKOS-Portugal.

O projeto STAI.Bin foi apresentado pela investigadora responsável – professora Doutora Regina Vieira.

Este projeto integra 10 investigadores de várias áreas disciplinares das ciências sociais, agrárias e tecnológicas, dos Institutos Politécnicos de Castelo Branco e Guarda, da Associação EcoGerminar e da EAPN – Rede Europeia Contra a Pobreza e pretende refletir sobre os benefícios dos circuitos curtos agroalimentares para produtores e consumidores, com impacto no desenvolvimento local, aos níveis ambiental, económico, social e de governança.

Foi dado particular destaque à atividade de recolha de dados que permitiu caracterizar as necessidades e expectativas dos produtores e consumidores coletivos sobre as relações de produção, comercialização e consumo de bens agroalimentares, em particular sobre a experiência de utilização do portal SmartFarmer Beira Interior, conseguida mediante processos de observação e recolha de inquéritos. O contacto direto com os participantes decorre da estratégia de trabalho direta e participante junto do público alvo, potencializando o preparar de outros processos de investigação que estão agendados (entrevistas, grupo focal, inquéritos), viabilizando a criação de uma matriz de base tecnológica que, por sua vez, permitirá a avaliação do impacto económico social e ambiental da utilização do SmartFarmer Beira Interior. A criação de evidências científicas sobre as potencialidades deste circuito curto sustentará propostas de melhoria do próprio portal SmartFarmer, assim como propostas legislativas que viabilizem relações de produção e consumo mais justas e dignas das pessoas e dos seus territórios, melhorando a sua qualidade de vida numa lógica de desenvolvimento sustentável.

Foi ainda destacado, nesta sessão, o potencial de produção e a qualidade dos produtos locais, assim como o potencial de desenvolvimento que as entidades da economia social, em particular as instituições particulares de solidariedade social, representam. As conclusões do primeiro inquérito realizado pelo STAI.Bin, entre dezembro de 2017 e janeiro de 2018, apontam para o facto de 144 IPSS dos distritos da Guarda e Castelo Branco, confecionarem aproximadamente 18.000 refeições diárias, pelo que se constituem como atores sociais de grande significado no sistema alimentar do território.

O programa da sessão integrou ainda dois espaços de trabalho individualizados quer com produtores, quer com consumidores, em particular com os representantes de organizações sociais sem fins lucrativos com serviço de confeção de refeições próprio, tendo os participantes oportunidade de concretizarem o seu registo no mercado eletrónico e testar a sua organização, com o apoio dos técnicos das entidades gestoras do SmartFarmer Beira Interior.

Idênticas sessões, foram já organizadas nos concelhos da Covilhã, Sabugal, Fundão e Guarda e está agendada uma nova sessão de apresentação no dia 14 de junho, no concelho de Pinhel.

Considera-se fundamental viabilizar o acesso à informação de novas propostas que se apresentam como recursos de desenvolvimento sustentável, viabilizando maior colaboração e proximidade entre agentes, mais transparência de processos e de garantia de qualidade dos produtos e serviços, criadoras de novas relações e cadeias de valor entre a produção e o consumo, respeitando e conservando os patrimónios, tradições e identidades culturais, sociais e ambientais da região da Beira Interior.